Notícia

Tragédia

Tragédia em Moçambique! Famosos solidários apelam aos fãs para ajudarem povo irmão

É um pesadelo que se vive em Moçambique por causa do furacão Idai que devastou parte do país. O número de mortos é elevado e toda a ajuda é pouca.
21 de março de 2019 às 14:35
Portugal está solidário com Moçambique. Figuras públicas apelam à solidariedade
Ciclone idai, moçambique
Ciclone idai, moçambique
Ciclone idai, moçambique
Ciclone idai, moçambique
Ciclone idai, moçambique
Ciclone idai, moçambique
Ciclone idai, moçambique
Ciclone idai, moçambique
Ciclone idai, moçambique
Ciclone idai, moçambique
Ciclone idai, moçambique
Ciclone idai, moçambique
Ciclone idai, moçambique
Ciclone idai, moçambique
Ciclone idai, moçambique
Ciclone idai, moçambique
Ciclone idai, moçambique
Ciclone idai, moçambique
Ciclone idai, moçambique
Ciclone idai, moçambique
Ciclone idai, moçambique
Ciclone idai, moçambique
É um verdadeiro pesadelo aquele se se abateu sobre o povo de Moçambique, depois de parte do país ter sido devastado durante vários dias  pelo ciclone Idai.

As autoridades locais confirma que há mais de 200 mortos, mas as vítimas mortais podem ser muitas mais. Há quem ainda espere por ser resgatado depois de ter perdido tudo. A fome já está instalada.

Portugal já enviou ajuda, mas é necessário mais, muito mais. E são várias as figuras públicas portuguesas que estão a fazer questão de alertar quem os segue nas redes sociais para que se sintam motivados a contribuir com donativos para ajudar este povo irmão.





Ver esta publicação no Instagram

Na sequência dos mais recentes acontecimentos dramáticos em Moçambique, temos de nos unir. Podemos ajudar todos e todas quantos(as) ficaram nesta situação vulnerável enviando produtos alimentares enlatados com período de validade prolongado, produtos para o tratamento de água, produtos de higiene e limpeza, roupa de bebé, fraldas de pano, mantas do tipo polar, farinhas lácteas etapas 1 e 2, garrafões de água de 5 e 6 litros, sabão. É possível ajudar contactando a Associação @helpoongd que irá levar um contentor com géneros doados que sairá de Portugal em direcção a Moçambique no início de Abril. E também a Associaçao @oikos_ongd Desenvolvimento e Cooperação. E ainda podem deslizar na galeria para consultarem o IBAN da @cruz.vermelha.pt que está activo para qualquer tipo de ajuda monetária. A todas as pessoas que me têm contactado no sentido de as ajudar a encontrar os seus familiares em Moçambique, envio um forte abraço e prometo que tentarei o meu melhor embora as dificuldades sejam muitas devido à falta de comunicações.

Uma publicação partilhada por Catarina Furtado (@catarinafurtadooficial) a


Catarina Furtado, uma mulher de causas solidárias, não fica indiferente ao que está a acontecer em Moçambique.

Ver esta publicação no Instagram

Moçambique precisa da nossa ajuda..! #ajudarmoçambique #mocambique

Uma publicação partilhada por @ diogoinfanteoficial a


Diogo Infante também incentiva à solidariedade.

Ver esta publicação no Instagram

Moçambique precisa de ajuda!!

Uma publicação partilhada por João Reis (@joaoreis_oficial) a


João Reis, companheiro de Catarina Furtado, também deixou o alerta ao povo português para a necessidade de olharmos para o que os moçambicanos estão a viver.

Ver esta publicação no Instagram

Conheço bem Moçambique. A primeira vez fui como voluntário numa missão, no Norte, em Changara, perto de Tete. Dei explicações aos alunos, acompanhei o padre nas visitas às aldeias circundantes, mas acima de tudo conheci gente, muita gente que me ficou na memória até hoje. Vi pobreza e abandono mas também força e resiliência. Vi como a comunidade internacional ajudava quem precisava, mas também vi os moçambicanos a fazerem muito uns pelos outros. A segunda viagem a Moçambique foi em trabalho, para rodar um filme em Maputo. Desta vez, como estávamos na capital a trabalhar com moçambicanos, percebi que, apesar de nós portugueses não termos fomentado a formação e qualificação daquele povo após séculos de ocupação, havia uma população activa e empreendedora - conheci parte do meio artístico, actores, músicos, escritores e confirmei o que tinha achado da primeira vez: por muito bonito que seja o país, o que faz de Moçambique uma terra extraordinária são as pessoas. Da terceira vez fui como turista, mas já me senti como em casa. Não é preciso ter estado em Moçambique para nos sentirmos solidários com as vítimas daquele que é já considerado "o pior desastre natural de sempre a atingir o hemisfério sul", mas o facto de já ter estado lá algumas vezes e ter conhecido tão bem aquele povo, fez com que isto tudo me tivesse tocado de forma particular. Por isso já fiz a minha doação e peço a quem possa que o faça também - por pouco que seja vai ajudar, e muito, quem precisa mais do que nunca de nós. Há várias formas de fazer chegar os vossos donativos a Moçambique - eu fi-lo através da Cruz Vermelha e deixo-vos os dados, caso optem por esta via também. Multibanco: Pagamento de Serviços - Entidade 20 999 / Referência 999 999 999 Transferência bancária: PT50 0010 0000 3631 9110 0017 4 Online: www.cruzvermelha.pt - DOAR @joshestey / CARE

Uma publicação partilhada por Filipe Vargas (@filipevargas) a


O ator Filipe Vargas deixa uma mensagem emocionante. " Não é preciso ter estado em Moçambique para nos sentirmos solidários com as vítimas daquele que é já considerado "o pior desastre natural de sempre a atingir o hemisfério sul".
Ver esta publicação no Instagram

Esta semana é assim... começar o dia a dar más notícias. Muita força para Moçambique

Uma publicação partilhada por João Moleira (@joaomoleira) a


João Moleira, jornalista da SIC,  lamenta o facto de ter de começar as manhãs a dar más notícias. "Força Moçambique", refere o pivô.

A atriz Ocêana Basílio lança o apelo: "Vamos ajudar".

Ver esta publicação no Instagram

Vamos ajudar!

Uma publicação partilhada por Oceana Basílio (@oceanabasilio) a

Comentários

Comentários
este é o seu espaço para poder comentar as nossas notícias!

Mais Lidas

+ Lidas

Newsletter

Newsletter

Subscreva a newsletter e receba diáriamente todas as noticias de forma confortável