'
Paulo Abreu
Paulo Abreu O Tal Canal

Notícia

A chapada de Maria Botelho Moniz a Daniel Oliveira

Apresentadora esteve 12 anos na SIC e nunca lhe deram um contrato. Agora, na TVI, com mais dinheiro e segurança no trabalho, tem o mundo a seus pés, com um programa nas manhãs
31 de dezembro de 2020 às 18:33
...
Maria Botelho Moniz, Daniel Oliveira
1. Maria Botelho Moniz esteve 12 anos na SIC, onde se deu a conhecer como atriz na novela 'Podia Acabar o Mundo'. Em Carnaxide e Paço de Arcos, fez de tudo um pouco – do 'Curto Circuito' ao 'Passadeira Vermelha' –, mostrou ser uma mais-valia, mas nunca ninguém na estação de Pinto Balsemão lhe deu, curiosamente, um contrato de exclusividade. Nem uma oportunidade a sério. A TVI reconheceu-lhe muitas qualidades, ofereceu-lhe mais dinheiro, mais segurança no trabalho e mais desafios profissionais. E ela foi.

Hoje, quase 10 meses depois, só tem motivos para sorrir: assumiu (e bem) os 'Extra' do 'BB', substituiu Manuel Luís Goucha e Fátima Lopes nas suas férias, com distinção, e integrou-se de forma perfeita na família do 'Somos Portugal'. Agora, deram-lhe as manhãs, com o programa 'Dois às Dez', ao lado de Cláudio Ramos. Segunda-feira, 4, é, por isso, o primeiro dia do resto da vida de Maria. A herança, a de conseguir fazer esquecer Goucha e vencer os rivais Diana Chaves e João Baião, é pesada, mas possível. E essa, se acontecer, será a melhor chapada de luva banca a Daniel Oliveira.

2. António, infetado com covid-19 e internado em 26 de março, esteve em coma durante dois meses. Está numa cadeira de rodas, a recuperar das graves mazelas, numa unidade de saúde. Só agora recebeu as visitas da mulher e dos filhos. Protegidos por máscaras e separados por um plástico, abraçaram-se, beijaram-se e choraram. A reportagem do 'Jornal da Tarde' de sábado (RTP1) foi um murro no estômago. Não pode deixar ninguém indiferente e só nos faz ansiar mais pelo fim da pandemia, agora que chegou a vacina.

3. Há dias, perguntaram-me quando é que a 'Varanda da Esperança', uma crónica assinada por figuras públicas na 'TV Guia' chega ao fim. Respondi que é para continuar, enquanto houver estrada para percorrer. E o convidado desta semana, Joaquim Nicolau, ator de 'Amar Demais' e cidadão de excelência, deu-me razão: "Portugal e nós, portugueses, estamos inscritos na lista de países desenvolvidos, mas um país e uma sociedade que tem cidadãos seus, ou à sua guarda, a viverem em condições materiais, culturais, afetivas, abaixo do limiar da pobreza… Não nos podemos sentir um povo e um país desenvolvidos." Feliz 2021, caro leitor.

Mais notícias de Piquete de polícia

Os combustíveis e o crime

Os combustíveis e o crime

O governo está a lidar com os aumentos dos combustíveis com propaganda simplista e demagógica. Forjada sob uma grande causa que hoje se coloca ao planeta: é necessário descarbonizar para que não haja um colapso ambiental, por isso, o custo dos combustíveis pode impedir o excesso de mobilidade automóvel e, por isso, a menor produção de gases com efeito de estufa. É uma desculpa cobarde. Sendo verdade a afirmação, é necessário criar os contextos para que essa descarbonização seja sustentada.
Morreu

Morreu

Gostamos do BB e paramos tudo para assistir, porque o BB é Vida! Hoje em dia, os concorrentes entram com força. Mas apenas no primeiro dia. Depois começam a perder a alma, tentam só fazer o que é politicamente correto, e mesmo quando se esquecem do guião de "bonzinhos", rapidamente o BB ou os apresentadores os alertam, e então voltam a enfiar-se num colete-de-forças de bonzinhos. Esmorecem novamente e entram em coma.
Judite Sousa e Cristina Ferreira: descubra as diferenças

Judite Sousa e Cristina Ferreira: descubra as diferenças

A jornalista regressa à televisão dois anos depois de uma travessia do deserto. Talentosa e viciada no trabalho, promete enriquecer a CNN Portugal. Já a diretora da TVI vai em viagem de trabalho a Cannes e não resiste a mostrar o seu deslumbramento social. Até quando, Mário Ferreira?
O que fazer com as novelas brasileiras?

O que fazer com as novelas brasileiras?

Bom Sucesso, novela com elenco de "primeira", que fez resultados simpáticos no Brasil, está atirada para o final da noite e, ou muito me engano, ou um destes dias é despachada para as madrugadas, tais são os resultados abaixo do desejado que alcança. Qual a alternativa? Usar (ainda mais) o horário da tarde para passar os "clássicos" e as novidades "globais"? A verdade é que até esse período já está estafado e não é todos os dias que estão disponíveis formatos divertidos, destinados ao público despreocupado desse horário.
Chuva de milhões

Chuva de milhões

A criação de uma nova taxa de 2 euros em todos os contratos de fornecimento de televisão por cabo vai criar uma receita adicional de 8,6 milhões de euros, que se destinará na totalidade ao serviço público. Quando uma empresa é deficitária significa que gasta mais que o dinheiro que obtém. Na vida real e entre os privados, sempre que há um défice de operação deste género, a única solução viável é reestruturar o funcionamento. Neste caso, tratando-se de uma empresa do Estado, a solução foi encontrar novas vias de financiamento.
Espancamentos noturnos

Espancamentos noturnos

O que surpreendeu o País foi o brutal espancamento ocorrido numa discoteca no Algarve, onde um segurança, credenciado por uma empresa de segurança privada, de forma brutal e desproporcionada flagelou um indivíduo que pacificamente falava com ele. As imagens são arrepiantes.

Mais Lidas

+ Lidas