'
Paulo Abreu
Paulo Abreu O Tal Canal

Notícia

TVI já ganha na ficção

A estação de Queluz de Baixo vence nas novelas, mas continua a perder o dia, por grande diferença, para a SIC. O que falta, então? Falta acertar no entretenimento, por exemplo. Cristina Ferreira, a diretora que tem carta-branca para fazer o que bem entende, não acerta uma.
28 de agosto de 2021 às 07:00
...
TVI já ganha na ficção

A ficção da TVI já leva a melhor sobre a SIC, em muitos dias da semana. Por pouca diferença, mas os números não mentem. Dou apenas dois exemplos – sexta (22) e segunda-feira (23). No primeiro, ‘Festa É Festa’ venceu ‘Amor Amor’, por 13 mil espetadores; ‘Bem Me Quer’ bateu ‘A Serra’, por 58 mil espectadores; e, por fim, embora num horário quase desencontrado, ‘Amar Demais’ ganhou à brasileira ‘Tempo de Amar’, por 233 mil espectadores. No segundo, mais três vitórias, praticamente pelos mesmos valores. Estamos no verão, época atípica para fazer grandes balanços em televisão, mas a realidade das audiências é esta, neste momento.

Já o tinha escrito, aliás, aqui, há vários meses, que a ficção da estação de Paço de Arcos dava sinais de fragilidade e que, por outro lado, a rival de Queluz de Baixo estava a arrumar a casa, com gente capaz, a criar histórias que chegavam a mais espectadores, a voltar à portugalidade que a catapultou para a liderança das audiências. O resultado da mudança de estratégia começa a dar frutos. Hoje, já não há ‘Prisioneira’, com atores com burcas, mas há ‘Festa É Festa’ ou ‘Bem Me Quer’. Há um presidente da Junta de Freguesia da aldeia da Bela Vida. Hoje, já não há personagens com os nomes de Omar e Samira, mas há o Albino ou a Maria Rita. Hoje, já não se grava na Tunísia, opta-se pela serra da Estrela e Aveiro. Apenas pormenores que fazem alguma diferença nas contas finais. Porém, a TVI continua a perder o dia, por grande diferença, para a SIC. O que falta, então?

Falta acertar no entretenimento e na informação. E não é por falta de dinheiro, que o patrão Mário Ferreira está disposto a tudo para chegar a n.º 1. Cristina Ferreira, a diretora que tem carta-branca para fazer o que bem entende em Queluz de Baixo, não acerta uma: ‘Dia de Cristina’, ‘VivaVida’, ‘All Together Now’, ‘Cristina ComVida’ ou ‘O Amor Acontece’ são prova disso. Anselmo Crespo, o diretor que nasceu e cresceu a dar notícias na SIC, não consegue deixar uma marca, seja às 13:00 ou às 20:00. Sim, as heranças dos formatos anteriores não ajudam, mas falta ali muita coisa, a começar pela identidade. Os dois jornais, afinal, são elitistas, ou populares?

Mais notícias de O Tal Canal

Sopa requentada e o pipi da Cristina Ferreira

Sopa requentada e o pipi da Cristina Ferreira

Com a RTP a caminhar para a sua irrelevância, as duas estações privadas vão anunciando o seu armamento para a ‘rentrée’… para agarrarem espectadores e anunciantes. Mas essas novidades, espremidas, são mais do mesmo. Uma tristeza!
TVI já ganha na ficção

TVI já ganha na ficção

A estação de Queluz de Baixo vence nas novelas, mas continua a perder o dia, por grande diferença, para a SIC. O que falta, então? Falta acertar no entretenimento, por exemplo. Cristina Ferreira, a diretora que tem carta-branca para fazer o que bem entende, não acerta uma.
Medo na TVI

Medo na TVI

A um mês da estreia do ‘Big Brother’ na TVI, Cristina Ferreira continua sem anunciar os apresentadores, depois de ter pensado na dupla Cláudio Ramos/Manuel Luís Goucha. O cheiro a derrota assusta a diretora.
As piruetas de Cristina Ferreira

As piruetas de Cristina Ferreira

A apresentadora e diretora da TVI trocou as voltas aos portugueses na quarta-feira, a ver onde é o melhor lugar para cada um, inclusive para ela. Sem admitir erros, tentando discreta e impercetivelmente arrumar de forma correta os colegas. Até quando esta desorientação estratégica?
Cristina Ferreira procura-se… e o lambe-botas também

Cristina Ferreira procura-se… e o lambe-botas também

Os três programas megalómanos da apresentadora na TVI correram mal. O que se passa? Até quando? Enquanto isso, anda aí um artista disposto a agradar-lhe… esquecendo-se de que gosta de marcar ‘paparazzi’ para ir sobrevivendo. Enfim, um Zé-ninguém.
Quem quer ser... visionário?

Quem quer ser... visionário?

O futuro da televisão passa mesmo só por Cristina Ferreira e Daniel Oliveira? Tenho saudades de Emídio Rangel e de José Eduardo Moniz, dois verdadeiros “generais”.

Mais Lidas

+ Lidas