'

Notícia

THE MAG - The weekly magazine by Flash!

Como Donald Trump perdeu o filho Barron para Melania: “Ele nem sequer diz que me ama”

Quem é o mais novo dos filhos do antigo presidente dos Estados Unidos? Aos 15 anos de idade, e mesmo depois de Donald deixar a Casa Branca, o adolescente continua a suscitar muita curiosidade, tanto por parte da imprensa como pelo americano comum. Apesar de ter nascido sob os holofotes mediáticos, o jovem mostra-se avesso à exposição pública. Tanto que até correm rumores de que sofrerá de um qualquer transtorno do espectro do autismo. É na mãe que tem o seu principal apoio. Já o pai, gostava de fazer dele um “homem” à sua imagem.
Ana Cristina Esteveira
Ana Cristina Esteveira
13 de janeiro de 2022 às 23:07
Barron Trump: como ele cresceu!
Barron Trump
Donald Trump, Melania, Barron
Donald Trump, Melania, Barron
Donald Trump, Melania, Barron
Donald Trump, Melania, Barron
Donald Trump, Melania, Barron
Donald Trump, Melania, Barron
Donald Trump, Melania, Barron
Donald Trump, Melania, Barron
Donald Trump, Melania, Barron
Donald Trump, Melania, Barron
Donald Trump, Melania, Barron
Donald Trump, Melania, Barron
Donald Trump, Melania, Barron
Donald Trump, Melania, Barron
Donald Trump, Melania, Barron
Donald Trump, Melania, Barron
Donald Trump, Melania, Barron
Donald Trump, Melania, Barron
Donald Trump, Melania, Barron
Donald Trump, Melania, Barron
Donald Trump, Melania, Barron
Donald Trump, Melania, Barron
Donald Trump, Melania, Barron
Donald Trump, Melania, Barron
Donald Trump, Melania, Barron
Donald Trump, Melania, Barron
Donald Trump, Melania, Barron
Donald Trump, Melania, Barron
Donald Trump, Melania, Barron
Donald Trump, Melania, Barron
Barron Trump
Donald Trump, Melania, Barron
Donald Trump, Melania, Barron
Donald Trump, Melania, Barron
Donald Trump, Melania, Barron
Donald Trump, Melania, Barron
Donald Trump, Melania, Barron
Donald Trump, Melania, Barron
Donald Trump, Melania, Barron
Donald Trump, Melania, Barron
Donald Trump, Melania, Barron
Donald Trump, Melania, Barron
Donald Trump, Melania, Barron
Donald Trump, Melania, Barron
Donald Trump, Melania, Barron
Donald Trump, Melania, Barron
Donald Trump, Melania, Barron
Donald Trump, Melania, Barron
Donald Trump, Melania, Barron
Donald Trump, Melania, Barron
Donald Trump, Melania, Barron
Donald Trump, Melania, Barron
Donald Trump, Melania, Barron
Donald Trump, Melania, Barron
Donald Trump, Melania, Barron
Donald Trump, Melania, Barron
Donald Trump, Melania, Barron
Donald Trump, Melania, Barron
Donald Trump, Melania, Barron
Donald Trump, Melania, Barron
Donald Trump, Melania, Barron

Se Barron Trump está sujeito ao escrutínio dos outros desde que nasceu, isso acabou por se intensificar muito mais no dia em que o pai, Donald Trump, foi eleito presidente dos Estados Unidos. Desde então que o filho mais novo do milionário, está no centro das atenções. Nessa altura, o adolescente ainda era um menino e começou a estar sob grande polémica devido ao seu semblante triste e por ter atitudes pouco habituais numa criança, na altura, de apenas 10 anos de idade. Barron mostrou ser acintosamente anti-social, evitando contactos mais próximos com qualquer pessoa que não pertencesse ao seu restrito círculo familiar.  O seu andar um tanto bamboleante, além de muitos gestos repetitivos e, o facto do seu pai ter à data do seu nascimento já 60 anos, pôs a circular rumores de que sofre de autismo. Isto já desmentido inúmeras vezes, inclusivamente por Melania Trump, mas as fortes suspeitas nunca se dissiparam.

Diz-se que o jovem se tem mantido, até agora, longe da vida pública por imposição de Melania Trump que sempre bateu o pé para que o filho tivesse uma "infância o mais normal possível". Contudo, nos Estados Unidos há também quem diga que é muito mais do que isso. É Barron que não quer seguir as pisadas do pai e dos irmãos, pessoas que têm o seu sangue, mas de quem ele não se sente assim tão próximo. O seu núcleo mais chegado são apenas três pessoas: a mãe e os avós maternos. São eles que estão lá sempre para o que der e vier e que lhe dão um forte sentimento de proteção e segurança. Entre eles falam eslovaco, deixando Donald Trump completamente de fora, pois o antigo presidente não domina a língua materna da mulher.

Barron, que tem 2,04 m de altura, não apreciará a "fanfarrice" paterna e ter assistido ao desmoronamento do casamento dos pais também em nada tem ajudado para que pai e filho tenham uma relação mais próxima e cúmplice. Há muito que o jovem adolescente percebeu que a união de Melania e Donald não passa de uma fachada para o exterior. E ele, claro, colocou-se do lado da mãe, que lhe dá espaço para ser quem quer ser e não lhe impõe que siga uma carreira nos negócios de família, nem sequer que apareça ao lado do pai para o apoiar nas suas ambições políticas.

A carregar o vídeo ...
Barron Trump brinca com o sobrinho

A DISTÂNCIA FÍSICA E AFETIVA DE PAI E FILHO 

Na biografia não autorizada ‘Free Melania’, da jornalista Kate Bennett, é dito que o casal não dormia apenas em quartos separados. Cada um ocupava alas e andares diferentes da Casa Branca. Isso, acabou, só por si, por distanciar Barron do pai, pois o quarto do jovem ficava na ala de Melania. Raramente os dois "homens" da casa se encontravam. Mas este distanciamento físico já vinha do passado, antes de Trump ter sido eleito presidente dos Estados Unidos. É garantido que o filho mais novo do milionário já tinha um andar só para si na Torre Trump, em Nova Iorque. Barron era e continua a ser proprietário de um andar de muitos metros quadrados no edifício que pertence ao seu pai e que fica na mais conhecida artéria de Nova Iorque: a 5ª Avenida. À revista 'Parenting' Melania Trump disse, em 2015, que foi o filho que decorou o seu próprio quarto. Tinha apenas poucos anos quando passou a ter a sua própria coleção de arte, exposta nas paredes da sua sala de estar.

Embora os americanos já o tenham apelidado de 'Pobre menino rico', no seu seio familiar Barron é tratado por 'Little Donald'. "Ele é um menino muito forte, muito especial, muito inteligente. É independente, convincente e sabe perfeitamente o que quer. É uma mistura de mim e do pai, mas tem muitos traços de personalidade de Donald", admitiu Melania Trump à 'Parenting'. Contudo, notícias circularam nos Estados Unidos que dão conta que o jovem não gosta nada deste ‘petit-nom’ por o relacionarem com o pai. Sim, esta é só mais prova de que Barron não se sente próximo de Donald.

A MÁGOA DE DONALD TRUMP

Uma especialista em linguagem corporal aventurou-se a analisar pai e filho nas poucas vezes que apareceram juntos em público. Num artigo de junho de 2020 o jornal ‘Express’ publicou, é evidente que Melania e Donald Trump estão em campos opostos quanto à educação do adolescente. Ainda assim, o antigo presidente reflete uma postura orgulhosa sempre que posa ao lado do filho, assegura Judi James. Por isso, não é, portanto, de estranhar a mágoa que o milionário sente por Barron raramente manifestar os seus sentimentos em relação a si: "Ele nem diz que me ama", já admitiu o ex-presidente publicamente.

Barron Trump: O pobre menino rico
Barron com o pai, Donald Trump
Barron Trump e as irmãs,  Ivanka e Tiffany
Barron e MelaniaTrump
Barron e Donald Trump
Torre Trump
O presidente norte-americano com o filho mais novo
Donald, Melania e Barron Trump
Barron já é conhecido pelo "pobre menino rico" e será usado como a desculpa perfeita para que tanto Melania como Donald Trump possam fazer as suas vidas em separado.
Donald, Melania e Barron Trump
Donald Trump, Melania, Barron
Barron está sob os holofotes do mundo
Melania Trump diz que o filho tem muitas parecenças com o pai
Donald, Melania e Barron Trump
Barron Trump
Barron Trump
Barron Trump e as irmãs,  Ivanka e Tiffany
Barron e MelaniaTrump
Barron e Donald Trump
Torre Trump
Donald Trump, Melania, Barron
Donald Trump, Melania, Barron
Donald Trump, Melania, Barron
Donald Trump, Melania, Barron
Donald Trump, Melania, Barron
Donald Trump, Melania, Barron
Donald Trump, Melania, Barron
Donald Trump, Melania, Barron
Donald Trump, Melania, Barron

Mas voltemos novamente aos sinais dados pela linguagem corporal de pai e filho: "Trump comporta-se como o ‘Rei Leão’ ao lado de Barron, mostrando ao mundo o filho acabado de nascer. Como se fosse um troféu", acrescentou Judi James analisando as imagens que foram captadas na Sala Oval quando assumiu a presidência dos Estados Unidos. Mas as coisas alteraram-se quando o filho deixou de ser uma criança dependente para se transformar num jovem com vontade própria: "Conforme Barron avançou na idade e se libertou do domínio paterno, Trump passou a mostrar confiança no filho permitindo-lhe essa independência", analisou a especialista em linguagem corporal.

Só que esta análise de Judi James é fortemente contrariada no livro ‘All Fire and Fury: Inside the Trump White House’, escrito pelo jornalista Michael Wolff. "Se Trump foi um pai ausente para os seus quatro primeiros filhos, foi-o ainda mais para o seu quinto filho, Barron, fruto da sua relação com Melania. Naquele que é o seu terceiro casamento, contou aos amigos que tinha aperfeiçoado ainda mais a arte de viver e deixar viver", escreveu o jornalista.

Vai gostar de

você vai gostar de...

Newsletter

Newsletter

Subscreva a newsletter e receba diariamente todas as noticias de forma confortável
Subscrever